Ebooks Grátis

domingo, 25 de setembro de 2016

METODOLOGIA “RAPID”

A metodologia RAPID ajuda a definir claramente as responsabilidades nos processos de tomada de decisão em uma empresa. Muitas companhias têm dificuldades na tomada de decisões, já que muitos funcionários podem acreditar que são responsáveis por uma decisão (ou nenhum funcionário pode assumir esta responsabilidade). RAPID ajuda os times de gestão a designar papéis e envolver as pessoas relevantes.

A chave é definir claramente quem fornece informações, quem decide e quem realiza a atividade.


As 5 letras de RAPID correspondem em inglês aos 5 papéis críticos na tomada de decisão:  recomendar, concordar, executar, informar e decidir.

R - RECOMMEND (Recomendar):  As pessoas neste papel são responsáveis por juntar informações e fazer recomendações para a decisão nos tempos adequados.  Devem consultar com as pessoas que fornecem informação, além de possuir habilidades analíticas e organizacionais e bom senso.

A - AGREE (Concordar): Pessoas que possuem poder de veto (sim ou não) sobre a recomendação.  A aplicação do veto gera um debate entre eles e os que recomendam, que deve levar a uma nova recomendação  modificada.  Se isto demora muito ou os 2 grupos não chegam a um entendimento, o assunto deve ser levado à pessoa encarregada da decisão ("D").

P - PERFORM (Executar): Após a tomada da decisão,  uma pessoa ou grupo de pessoas serão responsáveis pela sua execução.   Em alguns casos, serão as mesmas pessoas que recomendaram a decisão. 

I - INPUT (Informar): São as pessoas consultadas na decisão.  Como as pessoas que fornecem informações são normalmente envolvidas na execução, os que recomendam tem forte interesse em ouvir seus conselhos com seriedade.  Se as pessoas corretas não forem envolvidas e motivadas, a decisão tem maior probabilidade de fracassar na execução.

D - DECIDE (Decidir): A pessoa com a "D" é o tomador de decisão.  É o responsável final pelas consequências da decisão e tem autoridade para resolver impasses n processo de tomada de decisão, e de comprometer a organização com a ação.

Documentar os papéis e definir responsabilidades são essenciais, mas para uma boa tomada de decisão também é necessário ter o processo correto.  O excesso de regras podem causar o colapso do processo. O processo mais eficiente está baseado em regras específicas mas simples o suficiente para que sejam adaptáveis.

Pense nisto e tenha uma ótima semana!


quarta-feira, 21 de setembro de 2016

ANTES DE CONCLUIR, OBSERVE MELHOR!

Meus alunos de pós-graduação e eu tínhamos o hábito das sextas-feiras de irmos para uma pizzaria bater papo e relaxar da faina da semana. Numa destas saídas houve uma calorosa discussão entre Claudia uma aluna que dizia que Fernando, seu colega de turma, havia “roubado” suas anotações da monografia. O colega tentava explicar e falar com ela o que tinha havido, mas a aluna esta muito irritada e não queria ouvir nada de ninguém...

Nisto chega um funcionário da coordenação e ao ver a aluna avisa: – Oh! Claudia, o Fernando achou sua agenda na escada e deixou lá na coordenação...

Claudia ficou tremendamente sem graça e entre meias palavras pediu desculpas ao Fernando.


Neste momento aproveitei para contar uma das minhas histórias para o grupo. Afinal, era uma grande oportunidade para todos nós aprendermos mais um pouco...

Certo dia uma moça estava à espera de seu voo, na sala de embarque de um Aeroporto. Como ela deveria esperar por muitas horas resolveu comprar um livro para matar o tempo. Também comprou um pacote de biscoitos. Sentou-se numa poltrona na sala vip do aeroporto, para que pudesse descansar e ler em paz.


Ao seu lado sentou-se um homem. Quando ela pegou o primeiro biscoito, o homem também pegou um. Ela se sentiu indignada, mas não disse nada. Ela pensou: "Mas que cara de pau. Se eu estivesse mais disposta, lhe daria um soco no olho para que ele nunca mais esquecesse".

A cada biscoito que ela pegava, o homem também pegava um. Aquilo a deixava tão indignada que não conseguia reagir. Restava apenas um biscoito e ela pensou: O que será que o abusado vai fazer agora?

Então o homem dividiu o biscoito ao meio, deixando a outra metade para ela.

Aquilo a deixou bufando de raiva. Ela pegou o seu livro e as suas coisas e se dirigiu ao embarque. Quando sentou confortavelmente, numa poltrona, no interior do avião, olhou dentro da bolsa, e, para sua surpresa, o pacote de biscoito estava ainda intacto. Ela sentiu muita vergonha, pois quem estava errada era ela, e já não havia mais tempo para pedir desculpas.

O homem dividiu os seus biscoitos sem se sentir indignado, enquanto que ela tinha ficado muito transtornada, pensando estar dividindo os dela.

Quantas vezes, em nossa vida, nós é que estamos comendo os biscoitos dos outros, e não temos a consciência disto? Há quem proceda de forma muito diferente da que nós gostaríamos. Isso tira a nossa calma e nos dá a impressão de que ninguém gosta de nós.

Raciocine claramente!

Antes de concluir, observe melhor!

Talvez as coisas não sejam exatamente como você vê ou pensa!

Pense nisto e tenha uma ótima semana.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

O QUE É UMA FORÇA-TAREFA EMPRESARIAL?

Uma força-tarefa é um grupo de pessoas que estão temporariamente designados para trabalhar em conjunto para alcançar algo específico e com objetivos claramente definidos. Por exemplo, uma força-tarefa de qualidade funciona independentemente de um departamento para abordar questões de melhoria relativas à produção, venda, administração, marketing etc. 

Embora o conceito de uma força-tarefa é de origem militar, hoje, forças-tarefas são freqüentemente encontrados além dos limites das forças armadas, aparecendo no mundo dos negócios e outros.


O que leva uma empresa optar por usar esta ferramenta? O primeiro é tipicamente um sentimento de autonomia, uma força-tarefa é comandada por alguém de alto escalão suficiente para que ele ou ela não precisa consultar constantemente superiores para tomar decisões. Isso faz com que uma força-tarefa extremamente móvel, flexível e eficaz, permitindo que os membros para usar suas habilidades de forma muito eficiente. Uma força-tarefa típica é multifuncional. Ela contém um vasto leque de pessoas, integrando uma variedade de habilidades em uma única unidade.

Quando uma força-tarefa é formada, o prazo e os objetivos da força-tarefa são claramente definidas, e o “líder” geralmente indica o tipo de pessoal e de os recursos que seriam necessários. Quando o objetivo desejado seja alcançado, a força-tarefa é dividida novamente, com os membros de retornar às suas posições normais.


Enquanto a maioria das forças tarefa foco em metas de curto prazo, como desenvolvimento de novas tecnologias ou resolver um problema específico, uma força-tarefa também pode levar a mais desafiadora questões de longo prazo, como a reestruturação ou construção de uma nova linha de produção. Em alguns casos, essas forças-tarefa, em última instância evoluir para unidades regulares, refletindo o fato de que sua missão nunca será realmente feito, embora possam fazer grandes avanços na direção certa.

Pense nisto e tenha uma ótima semana.


Autor: Prof.A.Marins – Força-Tarefa: Fazendo Acontecer na Empresa, ADN – Administração de Negócios, Rio de Janeiro, RJ, COAD. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...