Ebooks Grátis

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

NOSSA LINGUA

Na Declaração dos Direitos do homem e do cidadão, datada de agosto de 1789, o artigo nono estabelece: "Todo homem é reputado inocente até que ele tenha sido declarado culpado."

Por sua vez, a Proclamação dos Direitos do homem da Organização das Nações Unidas - ONU, em seu artigo onze, afirma que "Toda pessoa acusada de ato delituoso é presumida inocente, até que sua culpabilidade tenha sido legalmente estabelecida em processo público, no qual todas as garantias necessárias à defesa lhe tenham sido asseguradas."

Recordamos, neste dia, ambos os artigos que a Humanidade abraçou, para analisarmos uma atitude que temos, muitas vezes adotado.

Basta que a mídia notifique algum fato ocorrido e um possível suspeito seja apresentado, para que de imediato tomemos a iniciativa de julgá-lo e condená-lo.

No mesmo dia, passamos a falar a respeito e estabelecemos para o condenado pela nossa razão, as penas mais cruéis.

Não faltam aqueles de nós que prescrevem as mais duras penalidades, sem indagar de circunstâncias e nem de veracidade.

Quantas criaturas já tiveram as suas vidas destroçadas pela nossa língua que, como afiado punhal, decepa a honra, o caráter e a vida particular de cidadãos, apenas suspeitos?

Já se viu, por mais de uma vez, algumas semanas ou apenas dias passados, a própria mídia apresentar o verdadeiro culpado, enquanto lastima o que fez ao anteriormente apontado.

Sem discutirmos as questões profissionais, levemos a questão para o nosso terreno pessoal.

Não seria tempo de pensarmos um tanto mais a respeito do que ouvimos, vemos, lemos?

Antes de tirarmos conclusões apressadas, não nos deveríamos permitir ao menos a dúvida inquietante, a cautela?

Oportuno se lembrar da exortação do Cristo: "Com a severidade com que julgardes, sereis julgados" e aqueloutra: "Atire a primeira pedra o que estiver sem pecado."

Antes de nos preocuparmos em disseminar o mal, atenhamo-nos em divulgar o bem.

Falemos das coisas positivas, das que enobrecem e colaboram para a tranqüilidade das criaturas.

Selecionemos uma frase edificante, um trecho construtivo, um livro nobre e falemos a respeito deles.

Tenhamos, para cada momento, em cada instante, uma palavra de alento, de bom ânimo, de otimismo.

Assim fazendo, com certeza, teremos dado ao talento da nossa língua a melhor utilidade.

Seria muito importante que, toda noite, em nosso exame de consciência nos perguntássemos: "Terei hoje utilizado a minha língua como Jesus utilizou a Dele?"

Autor: A língua, do livro Segue-me, do Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. O Clarim.

domingo, 23 de janeiro de 2011

ENSINAMENTOS DAS MÃES DE ANTIGAMENTE

Coisas que nossas mães diziam e faziam...

Era uma forma, hoje condenada pelos educadores e psicólogos, mas funcionou com a gente e por isso não saímos seqüestrando a namorada, calculando a morte dos pais, ajudando bandido a seqüestrar a mãe, não nos aproveitar dos outros, não pegamos o que não é nosso, não agredimos professores, nem matando os outros por ai etc.

Minha mãe me ensinou:

A VALORIZAR O SORRISO: "Responda-me de novo e eu te arrebento os dentes!”

A RETIDÃO: “Eu te ajeito nem que seja na pancada!”

A DAR VALOR AO TRABALHO DOS OUTROS: “Se você e seu irmão querem se matar, vão pra fora. Acabei de limpar a casa!”

LÓGICA E HIERARQUIA: “Porque eu digo que é assim! Ponto Final! Quem é que manda aqui?”

O QUE É MOTIVAÇÃO: “Continua chorando que eu vou te dar uma razão verdadeira para você chorar!”

A CONTRADIÇÃO... “Fecha a boca e come!”

SOBRE ANTECIPAÇÃO: “Espera só até seu pai chegar em casa!”

SOBRE PACIÊNCIA: “Calma... Quando chegarmos em casa você vai ver só!”

A ENFRENTAR OS DESAFIOS: “Olhe para mim! Responda-me quando eu te fizer uma pergunta!”

SOBRE RACIOCÍNIO LÓGICO: “Se você cair dessa árvore vai quebrar o pescoço e eu vou te dar uma surra!”

SOBRE O REINO ANIMAL: “Se você não comer essas verduras, os bichos da sua barriga vão comer você!”

SOBRE GENÉTICA: “Você é igualzinho ao seu pai!”

SOBRE MINHAS RAÍZES: “Tá pensando que nasceu de família rica é?”

SOBRE A SABEDORIA DE IDADE: “Quando você tiver a minha idade, você vai entender!”

SOBRE JUSTIÇA: “Um dia você terá seus filhos, e eu espero que eles façam pra você o mesmo que você faz pra mim! Ai você vai ver o que é bom!”

RELIGIÃO: “Melhor rezar para essa mancha sair do tapete!”

O BEIJO DE ESQUIMÓ: “Se rabiscar de novo, eu esfrego seu nariz na parede!”

CONTORCIONISMO: “Olha só essa orelha! Que nojo!

DETERMINAÇÃO: “Vai ficar aí sentado até comer toda comida!”

HABILIDADES COMO SER VENTRÍLOGO: “Não resmungue! Cala essa boca e me diga por que você fez isso?”

A SER OBJETIVO: “Eu te ajeito numa pancada só!”

A ESCUTAR: “Você na vai abaixar o volume, eu vou até aí e quebro esse rádio!”

A TER GOSTO PELOS ESTUDOS: “Se eu for aí e você não tiver terminado essa lição, você já sabe!”

NA COORDENAÇÃO MOTORA: “Junta agora esses brinquedos! Pega um por um!”

OS NÚMEROS: “Vou contar até dez. Se esse vaso não aparecer você leva uma surra!”

Obrigado mãe. Eu não virei bandido!

Autor desconhecido.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

COISAS DA VIDA

Um fazendeiro colecionava cavalos e só faltava uma determinada raça. Um dia ele descobriu que o seu vizinho tinha aquele determinado cavalo. Ele atazanou tanto seu vizinho até conseguir comprá-lo. Um mês depois o cavalo adoeceu, e ele chamou o veterinário:

– Bem, seu cavalo está com uma virose, é preciso tomar este medicamento durante 3 dias, no terceiro dia eu retornarei e caso ele não esteja melhor, será necessário sacrificá-lo.

Neste momento, o porco escutava toda a conversa.

No dia seguinte deram o medicamento e foram embora.

O porco se aproximou do cavalo e disse:

– Força amigo! Levanta daí, senão você será sacrificado!

No segundo dia, deram o medicamento e foram embora.

O porco se aproximou do cavalo e disse:

- Vamos lá amigão levanta senão você vai morrer! Vamos lá, eu te ajudo a levantar... Upa!

No terceiro dia deram o medicamento e o veterinário disse:

– Parece que ele não melhorou. Infelizmente, vamos ter que sacrificá-lo amanhã, pois a virose pode contaminar os outros cavalos.

Quando foram embora, o porco se aproximou do cavalo e disse:

– Cara, é agora ou nunca, levanta logo! Coragem! Upa! Upa! Isso, devagar! Ótimo, vamos, um, dois, três, legal, legal, agora mais depressa vai... Fantástico ! Corre, corre mais! Upa! Upa! Upa!!! Você venceu Campeão!

Então, de repente o dono chegou, viu o cavalo correndo no campo e gritou:

– Milagre! O cavalo melhorou. Isso merece uma festa... “Vamos matar o porco!”

Isso acontece com freqüência no ambiente de trabalho. Ninguém percebe, quem é o funcionário que tem o mérito pelo sucesso.

Saber viver sem ser reconhecido é uma arte, afinal quantas vezes fazemos o papel do porco amigo ou quantos já nos levantaram e nem o sabor da gratidão puderam dispor?

Se algum dia alguém lhe disser que seu trabalho não é o de um profissional, lembre-se: Amadores construíram a Arca de Noé e profissionais, o Titanic.

Procure ser uma pessoa de valor, em vez de ser uma pessoa de sucesso.

Autor desconhecido

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

HÁBITOS...

Hábitos são coisas que a gente faz repetidamente e nem percebemos./ eles funcionam no piloto automático. Alguns hábitos são bons, como fazer exercício regularmente; fazer planejamento... Mostrar respeito pelos outros...

Outros não fazem diferença, tipo: tomar banho de noite ou ler revista de trás para a frente.

Mas há os hábitos ruins! Pensar negativo é um deles... Sentir-se inferior e culpar os outros também!

Dependendo de quais forem, os hábitos podem tanto nos moldar quanto nos arruinar. Nós nos tornamos o que fazemos repetidamente... Mas, por sorte, você é mais forte do que seus hábitos. Assim sendo, é possível mudá-los.

Experimente, por exemplo, cruzar os braços sobre o peito. Agora os cruze ao contrário. O que lhe parece? Bem esquisito, não? Mas se você cruzá-los sempre ao contrário durante 30 dias seguidos, não irá mais estranhar. Na verdade, nem terá de pensar a respeito disso. Terá adquirido o hábito.

Isso vale para tudo. A qualquer momento é possível se olhar no espelho e dizer: "ei, não gosto disso em mim", essa é a deixa para trocar um velho hábito ruim por um novo melhor. E mudar tudo!

Nem sempre é fácil, mas sempre é possível... E quando isso acontece você assume o controle de sua vida e caminha em direção à felicidade...

Nota: Trecho do Livro Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes de Sean Covey

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

PEQUENAS DICAS PARA UMA NEGOCIAÇÃO EFICAZ

Qual a Importância da Linguagem Corporal Numa Negociação?

Nesses tempos modernos, as negociações entre profissionais e clientes estão se tornando cada vez mais difíceis, pois elas estão sendo conduzidas por especialistas; ou seja, pessoas astutas que fizeram cursos de negociação e se especializaram nisso.

Mas, quando você negocia com honra, conhecimento e compreensão as pessoas reconhecem que não é apenas o que você diz. Na verdade, como você diz é que faz a diferença. Dessa forma, ao negociar com alguém – seu cliente, sua esposa ou seus filhos – a sua Linguagem gestual é de extrema importância. Estudos indicam que a linguagem gestual é 97 % da mensagem do emissor – daí sua importância para os profissionais – e além disso a linguagem corporal também pode comunicar:

  • Poder: A intensidade de poder que você acredita ter em uma situação.
  • Simpatia: Até que ponto você simpatiza com alguém?
  • Receptividade: Em que medida você é receptivo a alguém?

Muitas vezes a Linguagem Gestual toma a forma de modulação e entonação da nossa voz e nesse aspecto o profissional que se comunica deve se preocupar com seus gestos, sua proximidade com o interlocutor, suas expressões faciais e o contato visual com a pessoa que está se comunicando. Dessa forma, o profissional de comunicação deve se lembrar das regras básicas da boa comunicação por Linguagem Gestual e, nesse contexto, ele precisa se lembrar do acrônimo “SOFTEN” (Suavisar em inglês):

  • Smile (sorriso)
  • Open (aberto)
  • Forward lean (inclinar-se para frente)
  • Touch (toque)
  • Eye contact (contato visual)
  • Nod (assentir com a cabeça)

Quando o profissional se comunica com eficácia ele se torna um negociador melhor preparado. Dessa forma, seguem abaixo algumas sugestões para uma melhor comunicação, durante a negociação:

  • Não transmita irritação, insegurança ou agressividade;
  • Mantenha o controle de seus nervos;
  • Não seja rude com seu Cliente;
  • Seja atencioso, mesmo que a opinião de seu Cliente seja diferente da sua;
  • Seja claro, compreensivo e mantenha-se calmo.

Sendo assim, o profissional deve evitar palavras incitadoras de discórdia, a fim de suavizar as negociações. Portanto, as palavras abaixo podem ser evitadas:

  • Você
  • Mas
  • Não dá
  • Sempre / Nunca
  • Deveria / Teria

Elaborar frases com a palavra “eu”, permite-lhe comunicar suas preferências de modo positivo, levando-o a soluções de vitória. Aperfeiçoando seu método de comunicação verbal e não verbal, você melhorará suas chances de sucesso na negociação. Lembre-se que uma negociação de sucesso exige uma comunicação de sucesso.

Autor: Julio Cesar S. Santos – Professor, Consultor e Palestrante. Articulista do Jornal do Commercio e co-autor do livro: Trabalho e Vida Pessoal - http://profigestao.blogspot.com

domingo, 9 de janeiro de 2011

EMPRESAS ACHAM A MINA DE OURO!

CVC, Tecnisa e Maturi querem conquistar os brasileiros que vivem mais e com qualidade de vida

Os brasileiros estão vivendo mais e impondo novos desafios às empresas que precisam se adaptar a essa realidade. Em 2008, a média de vida no Brasil era de 72,8 anos. Em 2020 deve chegar a 76,1, e, em 2050, a 81,3, segundo dados do IBGE. Apartamentos alterados, celulares e cosméticos voltados para o público sênior mostram que este segmento começa a entrar na estratégia das companhias.

Os consumidores mais velhos também estão com mais dinheiro. A faixa etária representa 43% da classe de renda mais alta (acima de dez salários mínimos) e indica que a tendência é que o país envelheça melhor. Em 2005, apenas 17% dos brasileiros tinham mais de 50 anos e a expectativa é que o número chegue a 29% até 2025.“O Brasil está prestes a passar pelo que chamamos de bônus demográfico, quando a massa de população economicamente ativa é maior do que a de crianças e idosos. Até 2035, cada vez mais crescerá o número de idosos, enquanto a taxa de fecundidade continuará caindo. É importante que as empresas estejam atentas para atender esse consumidor”, aponta Paulo Carramenha (foto), Diretor Presidente da GFK CR Brasil, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Imóveis com características especiais

A Tecnisa percebeu a oportunidade de investir em produtos focados nesse consumidor. Desde 2008, a construtora vem estudando as necessidades dessas pessoas e apresenta agora o seu primeiro empreendimento com características que atendem à chamada melhor idade.

Há dois anos lançamos um empreendimento e vimos que 15% dos compradores estavam na faixa etária acima de 55 anos. Como não tínhamos grandes preocupações voltadas para este público, contratamos uma empresa de gerontologia com profissionais que fizeram um relatório com erros e acertos, explica Patrícia Valadares, Gerente de Projetos da Tecnisa, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Apesar de não ser específico para a terceira idade, o Bossa Nova, localizado em Santos, litoral paulista, é resultado de um trabalho de pesquisa que identificou pequenos detalhes que poderiam fazer a diferença na vida destes moradores. As áreas comuns lembram a de qualquer outro empreendimento, mas sofreram mudanças que garantem mais qualidade de vida, segurança e conforto.

Projeto baseado na inclusão

O trabalho envolveu desde o mobiliário até a escada da piscina, passando pelo piso e pela decoração do salão de festa, que não contam apenas com a imagem de crianças e jovens, mas trazem também a de idosos. Todo o processo foi baseado na inclusão.

Percebemos a nova formatação social e que a terceira idade é um nicho de mercado. Essas pessoas estão consumindo com qualidade. Compram imóveis porque casaram de novo, ou porque os filhos saíram de casa e querem um apartamento menor, ressalta Patrícia.

O interior dos apartamentos também não foi alterado, mas, para aqueles que quiserem adaptá-lo, a Tecnisa oferece a consultoria de profissionais e o trabalho de reforma a preço de custo. Lançado há menos de um mês, o Bossa Nova já está 40% vendido, totalizando 79 unidades. Em 2011, a construtora espera lançar o Araribá, segundo projeto com características para a terceira idade.

Pensando na inclusão dos idosos, a ZTE, fabricante chinesa de equipamentos de telecomunicações, também vislumbrou uma oportunidade. A empresa lança no Rio de Janeiro o seu primeiro celular desenvolvido para a terceira idade, o S302. Disponível nas lojas da rede VIP, com preço sugerido de R$ 169,00, o aparelho tem teclas grandes e bem iluminadas, além de funções simplificadas com fácil acesso ao rádio FM, bateria com duração de até dez dias e lanterna LED.

Beleza na terceira idade

Outro diferencial do S302 é a tecla SOS. O botão foi acoplado na parte de trás do telefone para ser utilizado em caso de emergência. Quando o usuário aperta a tecla durante três segundos, o aparelho liga automaticamente para até quatro números pré-cadastrados, um por um, até que um deles atenda. Quando um dos números atende, o viva-voz começa a funcionar automaticamente e a função também envia uma mensagem de texto para todos os quatro números pré-definidos.

O modelo não é específico para o Brasil, mas desenvolvido para o mercado mundial, com foco em regiões onde a população está envelhecendo, como a Europa. Aqui também observamos uma oportunidade para este mercado e, em breve, o produto estará disponível em São Paulo, explica Bernardo Weisz, Diretor de Terminais da ZTE no Brasil, em entrevista ao portal.

A Maturi não só enxergou o potencial da terceira idade, como foi além. A marca de cosméticos nasceu para atender as necessidades e os desejos destes consumidores. Nossos produtos focam pessoas com pele madura, o que começa a ser observado aos 40 anos. Não propomos rejuvenescimento, mas oferecemos soluções para quem busca qualidade e saúde para a pele e os cabelos, aponta Flávio Rijo, Diretor Geral da Maturi, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Maturi quer expandir marca

A linha com sete itens, entre shampoo, condicionador e hidratante, foi lançada em outubro do ano passado e está presente em 150 pontos-de-venda de São Paulo e do Rio de Janeiro, além da loja virtual que entrega em todo o Brasil. Agora, a Maturi chega ao Rio Grande do Sul e já pensa em expansão de marca, com o lançamento de produtos de vestuário e alimentação funcional para o ano que vem.

Até o fim de 2011 serão lançados outros 10 produtos da linha de cosméticos, cinco no primeiro semestre e outros cinco no segundo. A estratégia de Marketing da Maturi contempla principalmente a informação e o esclarecimento sobre os benefícios da marca. Para isso, a empresa conta com promotoras treinadas no ponto-de-venda e se preocupa em não isolar os produtos, que ficam sempre juntos dos demais nas gôndolas.

Não queremos segregar e rotular a marca. Buscamos credibilidade e confiança. Não nos preocupamos apenas com o conteúdo, mas também com a usabilidade dos produtos. A embalagem tem uma pegada mais fácil, mesmo molhada não escorrega, e traz somente as informações essenciais, com fontes maiores para facilitar a leitura, ressalta Rijo.

Renda deve chegar a R$ 25 bi até 2020

A expansão deste mercado é favorável ainda para empresas que não atendem apenas os consumidores seniores. Hoje, a CVC conta com 750 mil clientes com mais de 50 anos. A expectativa é que em 2011 esse número chegue a 1,4 milhão. Somente em 2009, a operadora embarcou mais de 91 mil passageiros acima dos 60 anos, em viagens nacionais e internacionais, respondendo por aproximadamente 20% das vendas totais.

Uma das opções preferidas da terceira idade são os cruzeiros marítimos, que correspondem a 60% dos pacotes comercializados para estes consumidores. De acordo com a operadora, o estilo de comportamento faz com que os clientes mais velhos sejam bons planejadores de viagens, fechando a compra do pacote com bastante antecedência e viajando com mais frequência, pelo menos uma vez ao ano.

A expansão do orçamento dos idosos, aliada à qualidade de vida cada vez mais presente, mostra a importância desse público no mercado de consumo. “Em 2006, o rendimento desse grupo era de R$ 16 bilhões ao ano e deve chegar a R$ 25 bilhões até 2020, um crescimento de 56%. Quanto mais dinheiro, mais os brasileiros chegarão à terceira idade com poder de compra. Na Fiat, por exemplo, 12% dos compradores têm mais de 50 anos e a previsão é que, em 2030, sejam 20%”, diz Carramenha.

Fonte: Mundo do Marketing

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

O OBJETIVO DAS EMPRESAS DEVE SER A FELICIDADE

Pra mim, o objetivo de toda empresa deveria ser tornar as pessoas mais felizes: funcionários, clientes, acionistas, fornecedores, sociedade.

O lucro é uma conseqüência disso tudo. As pessoas se esforçam e pagam para serem mais felizes.

Não é uma questão de filantropia, mas de lógica.

O desafio é conciliar a felicidade de todo mundo. Perfeição não existe, mas acho q de forma satisfatória é possível. Deve-se começar principalmente com a felicidade dos funcionários e também com a dos clientes.

Por que com os funcionários? Empresas com funcionários felizes apresentam:

· Mais Produtividade e Qualidade

· Mais Atratividade para os melhores talentos

· Mais Inovação e Flexibilidade

· Menos Rotatividade e Absenteísmo dos empregados

· Menos Stress

· Mais Satisfação dos Clientes

· Mais Vendas e Lucros

Claro que felicidade no trabalho não é sobre só fazer tarefas "legais". Sempre vão ter umas tarefas tediosas, colegas com pouca afinidade, clientes chatos, dias ruins.

Felicidade no trabalho é sobre minimizar essas coisas, superar esses problemas e criar o máximo de experiências positivas.

Para saber mais sobre como tornar sua empresa e seu trabalho mais felizes:

· Leia online o livro Happy Hour is 9 to 5, do Alexander Kjerulf. É grátis!

· Leia tb o blog dele Chief Hapiness Officer. Ele Já postou várias coisas legais!

Autor: O palestrante e consultor Alex Kjerulf, que se apresenta como Chief Happiness Officer (Executivo Chefe de Felicidade), coloca a Felicidade nesse livro como o objetivo primário das empresas e profissionais.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

O VENDEDOR QUE QUERIA ENTREVISTAR DEUS

Era uma vez um vendedor muito ético e que gostava muito de gente. Um dia, ele pensou:


- - Para me sentir um profissional completo preciso vender para Deus. Se ao menos eu conseguisse marcar uma entrevista com Ele! Mas como farei a pré-venda?


O vendedor sempre ouviu falar que vender é diagnosticar necessidades, levantar problemas e apresentar soluções.


Mas, quando se trata de Deus, como vender para Ele? Quais são as necessidades de Deus? Que problemas Deus tem para eu oferecer algum benefício?


Ah! Se ao menos eu conseguisse marcar uma entrevista com o Eterno e conhecer os Seus problemas!

Naquela noite o vendedor foi para a cama pensativo e teve um sonho. Um anjo com muita luz se aproximou dele e falou:


- O Criador ouviu seu desejo e marcou uma entrevista com você terça-feira que vem às 17h35min. Esteja lá na rua G, número 438 onde acontecerá o encontro.


- Deus manda avisar que é para você não chegar atrasado. Seja pontual com o Grande Arquiteto.


O homem acordou e viu que era verdade, o Eterno ouvira mesmo seus pensamentos e marcou uma entrevista.


E eis que chega a tão esperada terça-feira.


O vendedor vai ao melhor posto de lavagem de carro e deixa seu automóvel brilhando, passa na melhor loja e compra o melhor terno. Afinal, o Cliente era muito especial.


Ao se dirigir para a rua G o vendedor entra num engarrafamento e é abordado por um garoto que lhe suplica:


- Moço, eu estou vendendo essas balas para ajudar minha mãe, o senhor poderia me comprar algumas?


O vendedor pensa na dor daquela família e resolve comprar todo o estoque de balas da criança.


O menino salta de alegria e diz:


- Obrigado, agora eu, minha mãe e meus irmãos vamos ter o que comer.


Tão alegre e saltitante de felicidade ficou o garoto que atravessou a rua correndo sem notar que um carro vinha em alta velocidade e o atropelou.


O vendedor coloca o garoto sangrando em seu carro e se dirige ao hospital. Ao chegar lá diz:


- Por favor, cuidem deste garoto para mim.


Aqui está o número de meu cartão de crédito, eu pagarei todas as despesas, tratem dele como se fosse meu filho.


O vendedor se apressa. Entra de novo na avenida que leva à rua G, número 438. O tempo parece voar.


Já são 17: 29 e o que ele menos quer é chegar atrasado.


O atropelamento, a burocracia no hospital, tudo isso lhe tomara grande parte do tempo. Já são 17h32min, eu não posso perder o encontro de minha vida, pensou apavorado.


Mas, ao entrar na rua e se aproximar do número o vendedor olha para o seu relógio e vê que são 17: 43. Em sua mente abatida pela frustração pulam as palavras do anjo:


- Não chegue atrasado, seja pontual com o Senhor do Universo.


O vendedor percebe que seu esforço fora em vão.


Uma grande tristeza toma conta de seu coração.


O Ser mais importante do Cosmos jamais lhe perdoaria esse atraso.


Que desrespeito enorme! E logo para com o Eterno!


Enquanto ele coloca a mão no rosto e chora pela entrevista perdida alguém bate no vidro fechado de seu carro. Ele aciona o abridor automático e, enquanto o vidro vai se abaixando o vendedor vê a figura iluminada do garoto que socorrera minutos atrás.


O garoto sorri e diz:


- Perdoe-me, querido, é que eu fiquei tão ansioso por essa entrevista que não agüentei esperar pelas 17: 35.


Essa fábula nos conta uma grande lição na área profissional.


Os resultados somente acontecem quando colocamos os problemas e necessidades dos outros em primeiro lugar.


Até Deus tem problemas que é convencer aos humanos do dever e do privilégio de amar ao próximo e o vendedor da fábula fez sua parte.


Quantas vezes você visita seu cliente pensando apenas em você mesmo ou em faturar, ganhar sua comissão ou atingir suas cotas?


Se tiver seu coração e mente apenas concentrado em fazer seu cliente feliz você venderá mais que benefícios.


Mais que soluções. Você venderá o produto mais desejado do mundo: o Amor. E até Deus será seu cliente.


Autor desconhecido

domingo, 2 de janeiro de 2011

CHEFE MAL HUMORADO FAZ MAL À SAÚDE

Pesquisa mostra que o risco de sofrer um ataque cardíaco é 25% maior entre os funcionários que têm um chefe rigoroso demais e sem razão, injusto e, principalmente, desmotivador.

Uma pesquisa feita em cinco países europeus mostrou que a saúde do empregado depende do comportamento do chefe.

Funcionários cansados, estressados? Pelo contrário: “Tenho um emprego legal e um bom chefe, trabalho feliz”, diz um operário.

Felicidade, eis o remédio. Do contrário, o coração pode não agüentar, foi o que mostrou uma pesquisa com 20 mil homens, entre 20 e 60 anos, que trabalham na Finlândia, Alemanha, Polônia, Itália e Suécia. Eles foram acompanhados durante dez anos.

A pesquisa feita pela Universidade de Estocolmo concluiu que o mau chefe não dá apenas dor de cabeça aos subordinados. Os danos à saúde podem ser fatais. O estudo mostra que o risco de sofrer um ataque cardíaco é 25% maior entre os funcionários que têm um chefe rigoroso demais e sem razão, injusto e, principalmente, desmotivador.

A coordenadora da pesquisa explica que um trabalhador desmotivado dorme e se alimenta mal, fuma e bebe mais, um veneno para o coração.

Um publicitário chefia 15 pessoas e diz que procura ser companheiro delas: “Já fui empregado e sei o que é ter um chefe complicado”, contou.

A pesquisa influenciou o departamento do governo sueco que cuida do desemprego no país. A coordenadora diz que a ordem agora é incentivar as empresas a preparar melhor os líderes de setores. “O chefe também tem que fazer cursos para melhorar como chefe”.

Soledad Grafeuille, que já trabalhou na embaixada da Suécia em Brasília, acredita que nos países em desenvolvimento o medo do desemprego é maior. Mesmo assim, defende uma mudança geral de postura.

Se você está em uma situação de você achar que para sua saúde não é bom, então você deve mudar de emprego ou falar com o chefe. E falar: “Eu não consigo mais essa situação”. “Eu acho que está dentro de cada um se valorizar”, explicou ela.

Fonte: Tv Globo - Jornal Nacional -
Veja o vídeo que o Jornal Nacional divulgou sobre o assunto: Vídeo - Soledad Grafeuille 's conselheiros e membro do ST Press - http://www.stpress.se/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...