Ebooks Grátis

quarta-feira, 19 de julho de 2017

GESTÃO DE MARKETING: SOBREVIVÊNCIA DA EMPRESA

Uma empresa que não vende, está fadada ao fracasso. Mas saber vender não envolve apenas ter um bom produto ou serviço e sair oferecendo de porta em porta. O processo vai muito além.

Antes de explorar o processo de administração de vendas, vamos clarificar aquilo que o antecede. A área responsável para que as vendas ocorram da forma mais produtiva possível: o marketing da empresa.

Partamos à regra: Marketing gera demanda para que Vendas gerem negócios. Uma boa gestão de marketing deve facilitar o trabalho do departamento de vendas para que este consiga, com o menor custo possível, gerar negócios para a empresa.


A boa gestão de marketing precisa lidar com dados de mercado para otimizar ações e aumentar o interesse das pessoas em adquirir aquilo que a empresa oferece.  Investir em marketing, nos tempos atuais, sem ter em mãos dados reais de mercado, é dar chance ao azar.

Empresas que cometem este tipo de erro são aquelas que definitivamente não fazem a gestão de marketing e pensam que marketing se resume simplesmente em fazer publicidade à massa.


A partir de ações mais assertivas para o público que realmente interessa à empresa, é hora de buscar as vendas. A gestão de vendas visa, através de pessoas capacitadas e uma boa comunicação com o departamento de marketing, buscar os melhores contatos e transformá-los em clientes.

Fazer uma boa gestão de marketing e vendas se torna essencial para um empresa que deseja crescer, e duas lições são importantes aprender: Marketing e Vendas andam sempre juntos, sem esta conexão não haverá bons negócios. A outra lição: tecnologia deve fazer parte de todo o processo. Sem tecnologia para gerir essa quantidade gigantesca de dados, certamente haverá desperdício de verba e de tempo.

Pense nisto e tenha uma ótima semana!


Fonte: SebraePRwww.sebraepr.com.br

sábado, 15 de julho de 2017

O QUE É A ANÁLISE PEST?


Análise PEST parte da avaliação dos fatores inerentes aos cenários, político, econômico, social/cultural e tecnológico nos diversos níveis de ambiente sejam eles no nível, da indústria, cidade, estado e país no qual o negócio está inserido.

A Análise PEST busca encontrar as tendências para cada um desses pontos, além disso ela enxerga as oportunidades e as ameaças que afetam o negócio a partir de cada fator.

É interessante combinar a análise PEST com outras ferramentas e conceitos de análise estratégica como a SWOT e as Forças de Porter. Dessa forma é possível tirar mais insights sobre o ambiente no qual o negócio está inserido.


A partir de respostas das questões, como as abaixo, os gestores inserem e avaliam os dados e informações coletadas através de pesquisas.

Fatores Políticos


A área política representa enorme influência sobre as regras empresariais, e o poder de compra de clientes e outras empresas. Você sempre deve considerar fatores como:
  1. Quanto estável é o ambiente político?
  2. Poderão regras governamentais influenciar leis que regulam os impostos pagos por seu negócio?
  3. Qual é o posicionamento do governo em relação à éticas de marketing?
  4. Qual é a política governamental sobre a economia?
  5. O governo tem alguma visão sobre a cultura e religião?
  6. O governo está envolvido em negociações tais como o EU, NAFTA, ASEAN, entre outros?
Fatores Econômicos



Comerciantes precisam considerar o estado de uma economia de negócios no curto e longo prazo. Isto é especialmente real no planejamento de marketing internacional. Você deve considerar:
  1. Margem de juro.
  2. O nível de inflação, nível de emprego (per capita).
  3. Prospecto ao longo prazo da empresa, Produto Interno Bruto (PIB) per capita.
Fatores Socioculturais


As influências sociais e culturais de uma empresa variam de país para país. É de estrema importância que estes fatores sejam considerados, incluindo:
  1. Qual é a região dominante?
  2. Qual é a aceitação à produtos ou serviços importados?
  3. Qual o idioma dominante para difusão de produtos no mercado?
  4. Quanto tempo os consumidores dispõem para lazer?
  5. Qual o papel do homem e da mulher nesta sociedade?
  6. Qual é a expectativa de vida da população? As gerações mais antigas são mais ricas?
  7. Qual é a expectativa de vida da população? As gerações mais antigas são mais ricas?
  8. Qual é a opinião da sociedade em relação a fatores ambientais?
Fatores Tecnológicos


Tecnologia é vital para atingir uma vantagem sobre a competição, e é um fator principal da globalização.

Considere os pontos à seguir:
  1. A tecnologia facilita produtos e serviços serem fabricados por um preço mais baixo e melhor qualidade?
  2. A tecnologia oferece a consumidores e empresas produtos e serviços mais inovadores como o Internet Banking (acesso a contas bancárias online), nova geração de telefones celulares etc.?
  3. Como tem mudado a distribuição de produtos / serviços através de novas tecnologias, tais como: livros online, passagens aéreas, leilões etc.?
  4. A tecnologia oferece a companhias uma nova forma de comunicação a seus consumidores, por exemplo: banners, Customer Relationship Management (CRM) – (Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente), etc.?
Pense nisto e tenha uma ótima semana!

domingo, 9 de julho de 2017

A GESTÃO DE PRODUÇÃO: FÓRMULA PARA SUA EMPRESA CRESCER

O bom planejamento permite ao empresário alcançar níveis satisfatórios de qualidade, diminuir os custos e aumentar a lucratividade do negócio.

É por meio do processo de gestão – sempre seguindo propósitos, princípios e valores pré-estabelecidos – que uma empresa realiza seus objetivos e metas. Gerenciar é saber o que fazer e como fazer, de maneira eficiente e barata.

Em resumo, a gestão pode ser desdobrada em três funções:
  • Planejamento;
  • Execução e controle;
  • Monitoramento.
O planejamento exige alternativas potenciais de ação que satisfaçam os objetivos da empresa. É essencial avaliar os meios disponíveis para pôr essas alternativas em prática.


A execução e o controle envolvem a responsabilidade pelos erros e defeitos, sendo que o reconhecimento e correção desses problemas devem ser realizados pelo supervisor da operação ou, preferencialmente, pelo próprio operador.

Portanto, os funcionários devem estar bem informados sobre as técnicas e métodos de controle, para que tenham conhecimento das causas geradoras do defeito e para que possam manter a qualidade dos produtos.


O monitoramento reúne três procedimentos essenciais que, se implantados no processo produtivo, favorecem a manutenção e a melhoria da qualidade dos produtos:

Inspeção na fonte

Uma indústria com “zero defeito” é uma meta a ser buscada, mas sabe-se que é impossível de ser atingida. Contudo, o papel da gestão é tentar diminuir o máximo possível o percentual de falhas.

Quando as quantidades e modelos de produtos fabricados aumentam ou variam muito, as informações tornam-se excessivas e aumentam as chances de erros. Mais que uma técnica, é preciso atitude adequada para assumir um padrão tipo “Faz-Verifica”. A inspeção na fonte é uma atitude permanente de “ficar de olho” no processamento, no “como”, ou seja, refere-se ao cuidado com o sujeito e agente (homem ou máquina) e não com o objeto do trabalho.


Em síntese, a inspeção na fonte significa fazer conforme um método padronizado e pré-estabelecido, descrito no Roteiro de Produção. Com base nele, verifica-se o resultado e, se não for satisfatório, deve-se suspender a produção com erro até encontrar um novo método, mais adequado.

Assim, o ciclo é: planeja-executa-controla-aprova ou reprova. Se reprovar, inicia-se um novo ciclo, de atuação na causa e não no efeito.

Ação corretiva e preventiva

As Ações Corretivas e Preventivas são essenciais para evitar erros e defeitos e devem ser monitoradas formalmente pela direção da empresa. Por mais simples que sejam as operações para a produção de determinado produto, é essencial a definição de critérios e instruções claras sobre a recuperação de componentes ou produtos defeituosos. A partir da análise dos defeitos devem ser estabelecidos métodos para prevenir sua recorrência.

Melhoria contínua

Melhoria contínua significa o envolvimento de todas as pessoas da organização na busca constante e sistemática do aperfeiçoamento dos produtos e processos empresariais. O objetivo dessa proposta é melhorar o desempenho dos produtos e processos de trabalho, por meio do aprendizado e da criatividade.


No dia a dia, usa-se o Método PDCA (Planejar, Executar, Controlar e Agir Corretivamente) para manter os padrões e metas estabelecidos. Além disso, a empresa deve almejar constantemente atingir novas metas, para que elas se transformem em novos padrões, num ciclo contínuo.

Cabe salientar que quando a organização é receptiva a mudanças, menores são as resistências às melhorias. Para ter uma equipe disposta a melhorar continuamente, os empresários de pequenos negócios devem divulgar ações do tipo:
  • Descartar ideias fixas e convencionais;
  • Pensar em como fazer e não no por que não pode ser feito;
  • Questionar práticas atuais que não atendem a seus propósitos, sem apresentar desculpas;
  • Incentivar o “faça imediatamente”, mesmo que seja para atingir 50% dos objetivos, não procurando a perfeição;
  • Se errar, corrija o erro imediatamente;
  • Realizar melhorias com a criatividade e não com gastos em dinheiro. A criatividade surge com a necessidade;
  • Diante de um problema, utilizar a pergunta “por quê?” pelo menos cinco vezes até encontrar a causa;
  • Buscar ouvir o maior número de pessoas. As sugestões de melhoria são infinitas.
Cabe ao empresário entender a importância de estabelecer desafios constantes para o sistema produtivo. Assim será possível alcançar níveis melhores de qualidade que terão impactos em todas as dimensões do seu negócio.

Pense nisto e tenha uma ótima semana!

Fonte: Sebrae - http://www.sebrae.com.br/

quarta-feira, 5 de julho de 2017

SCAMPER - MELHORANDO PRODUTOS E SERVIÇOS

SCAMPER foi proposto por Alex Osborne em 1953, e foi desenvolvido por Bob Elerle em 1971 em seu livro; SCAMPER: Games for Imagination Development.

Muitas vezes é difícil surgir com novas ideias no desenvolvimento ou melhorias de um produto ou serviço, mas é aqui que entram as técnicas criativas como o SCAMPER. Ele é  um acrônimo para substituir, combinar, adaptar, modificar, colocar em outro uso, eliminar e reverter. Esta é uma lista de mudanças que poderá ser a produtos e serviços existentes para abrir novas oportunidades.


S – Substituir
C – Combinar
A – Adaptar
M – Modificar
P – Dar outro uso
E – Eliminar
R – Reverter

Esta técnica utiliza-se a partir da colocação de questões sobre produtos existentes (que quer melhorar ou que pensa ser um bom ponto de partida para desenvolvimento futuro), usando cada um destes lembretes.


Eis algumas questões de exemplo:

Substituir
  • Que materiais ou recursos podem ser substituídos para melhorar o produto?
  • Que outro produto ou processo poderia ser utilizado?
  • Que regras poderiam ser mudadas?
  • Este produto pode ser usado noutra coisa, ou como substituto de outra coisa?
Combinar

  • O que aconteceria se combinasse este produto com outro, criando algo novo?
  • E se combinasse objetivos ou propósitos?O que poderia combinar para maximizar a utilização do produto?
  • Como poderia criar uma nova abordagem a este produto, com a junção de novos talentos e recursos?

Adaptar
  • Como poderia adaptar ou reajustar o produto para ter outra utilidade?
  • O que é que se parece com este produto?
  • Em que outro contexto se poderia colocar este produto?
  • Que outros produtos/ideias podem ser usados como inspiração?

Modificar
  • Como mudar a forma e aspeto do produto?
  • O que se pode acrescentar ao produto?
  • O que deve ser enfatizado para criar mais valor?

Dar outro uso
  • Este produto pode ser usado noutra indústria?
  • Como se comportaria num ambiente diferente?
  • Os restos do produto são recicláveis para criar algo novo?

Eliminar
  • Como simplificar o produto?
  • Que partes, regras ou características podem ser eliminadas?
  • O que deve ser menos destacado?
  • Como se pode tornar menor, rápido, leve ou divertido?

Reverter
  • O que aconteceria se o processo fosse revertido ou se a sua sequência fosse alterada?
  • E se tentasse o oposto do que está a tentar fazer?


Por fim, responda às perguntas e analise se alguma se destaca como uma solução viável.

Pode usar alguma dessas ideias para criar um novo serviço, produto ou desenvolver outro?

Pense nisto e tenha uma ótima semana!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...