Ebooks Grátis

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

COMO REPENSAR A CARREIRA PARA 2015

O profissional que almeja sucesso na carreira tem duas missões fundamentais no fim de cada ano: fazer o balanço dos 365 dias que se passaram e estabelecer metas para os que virão. Especialista em gestão estratégica de pessoas e diretora-geral da Sias Educação e Consultoria, Jacqueline Rezende enfatiza que “todo profissional é um 'Você S.A', ou seja, tem balanço, planejamento e meta”. Ela explica que é preciso fazer um apanhado de tudo que se viveu, o que deu certo e o que ficou no meio do caminho, e trabalhar os próximos objetivos. Jacqueline ressalta quatro pontos para alcançar resultados positivos nesta avaliação. “O primeiro é pensar em tudo aquilo que eu quero e já tenho e que vou manter. O segundo, é tudo que não quero mais e vou eliminar. O terceiro é tudo aquilo que quero, não tenho e vou buscar. E o quarto é tudo aquilo que eu não tenho, não quero e vou continuar evitando.”

Com a ideia de que o profissional tem de ser um estrategista, precisa organizar cada passo da sua carreira, a especialista em gestão destaca a importância de cuidar de, pelo menos, cinco áreas essenciais para o crescimento pessoal dentro de uma organização. É a conhecida “roda da vida”, que, de oito áreas, ela reduz para cinco – “uma forma mais tranquila de englobar do trabalhador chão de fábrica até os gestores”.

De acordo com Jacqueline, a primeira área a ser cuidada é a espiritual. É a que
ela chama de meta egoísta, do eu. “Não envolve filho, marido e trabalho. É o individual. Preparar-se para os outros, fortalecendo as próprias competências.” A segunda é a área familiar, que não significa só os laços de sangue. “Família é toda a composição social que o faz se sentir acolhido e ter obrigações financeira, moral, física e social. Você precisa dela para alicerçar sua vida. Esse núcleo engloba a intensificação de relações como perdão, melhoria e entendimento.”

A terceira área é a social. Hora de incluir os amigos, relacionamentos dentro da empresa, enfim, o famoso network. “Eu sou quem eu conheço. E o network não é só para a carreira, mas para a vida. Se você tem uma filha doente e chega desesperado num hospital, será um alívio se conhecer um médico para, de alguma forma, dar um apoio, uma assessoria, uma palavra.” Ela diz que as metas se intensificam com o aumento do network, mas o contato não pode ficar limitado às redes sociais. “As pessoas estão cada vez mais longe do convívio e da conversa, que são preponderantes para fortalecer as relações e ter visão macro do mundo. E lembre-se, network não é só fazer parceria.”


A financeira é a quarta área que exige atenção de todo profissional, seja na hora do balanço, seja na hora de definir o futuro. “Tudo no mundo gira ou corre em cima do dinheiro, vivemos num mundo capitalista. Portanto, as diretrizes financeiras cobram equilíbrio. O que adquirir, o que economizar, são questões para analisar. Se perder, se não tiver controle desta área, o impacto será sobre todas as outras.”

Por último, e não menos importante, está a área que cuida da carreira. Aqui estão em jogo seus desejos e objetivos. Onde quer chegar? Quer mudar de emprego? Vai buscar uma promoção? O que tem feito de novo? O que está entregando fora do combinado? “É preciso criar um plano de ação, ainda que reduzido. Ter cuidado na hora de definir prazo. Se é para 2015 é preciso ser cumprido em 2015. Claro, se você for o responsável pela ação e não depender de decisão de terceiros. Na carreira é necessário o equilíbrio, porque demanda atenção maior que qualquer outra área. Por isso, planejamento é o principal.” Jacqueline enfatiza que, ainda que balanços sejam complicados, nem sempre o resultado é o esperado, e definir metas demanda coragem. O principal é ter em mente “que a felicidade é o ingrediente do sucesso profissional. O estímulo é externo, mas quem se motiva é você mesmo”.

O valor das pequenas conquistas

É fundamental a análise do que foi feito e o reconhecimento do que foi conquistado. É importante estabelecer metas a longo prazo, mas não deixe de considerar outras etapas que têm de ser vencidas, as micro conquistas, que devem ser analisadas, para não desanimar. Se quer ser diretor, valorize o tempo que passou como assistente e analista. Comemore as pequenas vitórias. Se perceber que determinado comportamento não deu o resultado desejado, atue para mudá-lo. O comportamento de hoje determina a forma como se vai estar no futuro. Por isso, todos devem analisar aquilo que foi feito e deu certo, aquilo que foi feito e pode ser melhorado e aquilo que não deve ser repetido. Somente com base nas ponderações de 2014 você vai ter condições de classificar a situação e fazer o planejamento para o ano seguinte. Como a empresa, o profissional tem de ter planejamento estratégico em benefício próprio. Não fazer o balanço é ter falta de consciência do comportamento, que se tornará repetitivo e o resultado não mudará. Será aquela história, faz, faz, faz e nada acontece, fica no mesmo lugar. Um ciclo. E o fim de ano é a época ideal, já que por natureza todos se sentem mais abertos a repensar e renovar.

Pense nisto e um Feliz Ano Novo!

Fonte: Jornal de Pernambuco

Autora: Jaqueline Rezende - CEO Sias Educação e Consultoria. Professora Fundação Getúlio Vargas

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

FELIZ ANO NOVO!

Agradeço a todos leitores do meu blog a sua participação e os comentários que sempre me enviam, desejando que 2015 seja um ano de muitos sonhos alcançados e realizações.
Feliz 2015 para todos!


terça-feira, 16 de dezembro de 2014

DESAPRENDER PARA APRENDER

Certa vez fomos convidados pelo principal executivo de uma organização para participarmos de uma reunião onde seriam discutidas as principais mudanças que precisavam ser implantadas na empresa. Seu maior problema era encontrar uma forma de romper as resistências das próprias pessoas daquela organização.

Para alguns membros da reunião era “simplesmente implantar” e “quem não estivesse satisfeito que pedisse demissão”. Afinal, “manda quem pode e obedece quem tem juízo”. Para outros, a implantação feita através de imposição não seria a melhor solução. Corria o risco de perder alguns membros da equipe, sem se falar no “clima pesado” que se criaria.

Essa era nossa missão: mudar a organização através das pessoas para implementar as mudanças. Afinal, é com isso que trabalhamos: usar novos métodos e ferramentas para ajudar as empresas a serem mais efetivas, sem desconsiderar as pessoas.


Neste caso foram usados os modelos de Aprendizagem Organizacional, que primam pela formação dos recursos pessoais da empresa, através da transmissão de novas habilidades específicas, adequadas ao contexto a ser desejado. Em outras palavras, preparar os colaboradores da empresa para que entendessem as mudanças necessárias e ajudassem a implantá-las.

Cabe aqui um parêntesis para explicarmos o porquê da escolha da Aprendizagem Organizacional.

Antigamente, exigia-se que os profissionais tivessem uma grande gama de conhecimentos próprios para exercer determinada função. Atualmente esta exigência não é tão crítica, pois o importante não é só o que uma pessoa sabe, mas o que essa pessoa é capaz de aprender.

Aprender é uma das primeiras habilidades que as pessoas desenvolvem, tanto no meio dos conhecimentos, como das condutas e atitudes para adaptar-se ao meio ambiente. Assim, a tarefa de Aprendizagem Organizacional, como toda função, depende das pessoas, pois existem várias metodologias para chegar-se à pratica.

O sucesso de aprendizagem requer um elemento básico: o desaprender, isto é, romper seus paradigmas, conhecimentos ou hábitos de conduta que limitem os processos de mudança, ou de novas respostas.

Isto requer das pessoas envolvidas com os processos que tenham uma atitude aberta e franca e, principalmente, que estejam comprometidas com o processo.

Para isso se deve associar a Administração à Psicologia Organizacional, para que não se aborde somente aspectos técnicos, mas também as atitudes, emoções e condutas do grupo da empresa.


Uma vez realizadas tais ações, é importante definir qual metodologia é mais adequada a empresa. Deve-se, ainda, aplicar ao perfil dos grupos e das pessoas que a integram. Lembre-se que produtos “enlatados” normalmente não atende a organização.

Voltando para o nosso caso, a empresa concordou e decidiu aceitar a nossa recomendação e realizou, com a nossa ajuda, um Fórum de Melhoria dos Negócios da Empresa, com a presença do principal executivo, diretores, gerentes e representantes de diversas áreas.

As pessoas convidadas tiveram a missão de montar um Documento de Premissas da Empresa, com objetivos de até dois anos, para implantar os diversos projetos de melhoria e estabelecerem os Indicadores para medir e aprimorar.

Nem sempre é assim, mas neste caso teve um final feliz, pois a empresa acabou por criar um amplo programa para atender toda a empresa, além, é claro, de fazer mudanças e melhorias através de seus colaboradores.

Pense nisto e uma ótima semana.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

VOCÊ CONHECE A TERAPIA DO ELOGIO?

Ao ler texto sobre a “Terapia do Elogio”, enviado por um amigo, lembrei-me de uma grande empresa multinacional que durante vários anos prestei consultoria a sua diretoria e gerência.

Certa vez, preocupado com a desmotivação e tristeza de determinado grupo de gerentes, o vice-presidente pediu-me que identificasse o que estava acontecendo. Através de minha equipe consegui identificar que apesar dos bons salários que recebiam, férias pagas no exterior, cursos nas melhores escolas e universidades, prêmios etc. pagos pela organização, eles não eram reconhecidos. Isto mesmo, simplesmente o que eles sentiam falta no seu trabalho era receber um simples: “seu trabalho ficou muito bom”...

O assunto é tão importante que escrevi um artigo sobre o tema na Administradores – http://www.administradores.com.br/u/amarins/ – intitulado “Você Sabe Recompensar e Reconhecer a sua Equipe?”. E pelo mesmo motivo resolvi reproduzir o texto do psicólogo Arthur Nogueira. Ele, como sempre, é muito oportuno, principalmente para empreendedores e gestores das organizações. Diz o texto:


Renomados terapeutas que trabalham com famílias, divulgaram uma recente pesquisa onde Nota-se que os membros das famílias brasileiras estão cada vez mais frios, não existe mais carinho, não valorizam mais as qualidades, só se ouvem críticas.

As pessoas estão cada vez mais intolerantes e se desgastam valorizando... os defeitos dos outros. Por isso, os relacionamentos de hoje não duram.

A ausência de elogio está cada vez mais presente nas famílias de média e alta renda. Não vemos mais homens elogiando suas mulheres ou vice-versa, não vemos chefes elogiando o trabalho de seus subordinados, não vemos mais pais e filhos se elogiando, amigos, etc.

Só vemos pessoas fúteis valorizando artistas, cantores, pessoas que usam a imagem para ganhar dinheiro e que, por consequência, são pessoas que têm a obrigação de cuidar do corpo e do rosto. Essa ausência de elogio tem afetado muito as famílias.

A falta de diálogo em seus lares, o excesso de orgulho impede que as pessoas digam o que sentem e levam essa carência para dentro dos consultórios. Destroem seus casamentos, e acabam procurando em outras pessoas o que não conseguem dentro de casa.

Comecemos a valorizar nossas famílias, amigos, alunos, subordinados. Vamos elogiar o bom profissional, a boa atitude, a ética, a beleza de nossos parceiros ou nossas parceiras, o comportamento de nossos filhos.

Vamos observar o que as pessoas gostam. O bom profissional, o bom filho, o bom pai ou a boa mãe, o bom amigo, a boa dona de casa. A mulher e o homem que se cuidam, enfim vivemos numa sociedade em que um precisa do outro, é impossível se viver sozinho, e os elogios são a motivação na vida de qualquer pessoa.

Quantas pessoas você poderá fazer feliz hoje elogiando de alguma forma? Então elogie alguém hoje!

Eu começo! Amigo leitor. Para mim você é muito importante, pois é você que lê os meus artigos, os critica ou elogia e me motiva a continuar a escrever. Muito obrigado por estar comigo todo este ano. Conto com vocês no próximo ano. Feliz Natal e Ano Novo!

Pense nisto e uma ótima semana!

Autor: Arthur Nogueira - psicólogo


sábado, 6 de dezembro de 2014

COMO DEFINIR METAS INTELIGENTES

Definir e escrever metas são os passos mais importantes que você deve fazer para melhorar o negócio e situações pessoais. Por isto, antes de você ler este artigo, gostaria de fazer-lhe uma pergunta: Você estaria disposto a fazer algumas mudanças para melhorar o seu negócio, carreira ou vida pessoal? Se sua resposta for “sim”, parabéns você já deu o primeiro passo para o sucesso.


Em primeiro lugar vamos entender o “porquê” metas devem ser estabelecidas e por escrito para que possamos mudar. 


Os objetivos são o seu destino 

Você já tirou férias sem saber para onde iria? Na maioria das vezes no meio das suas férias não sabe mais o que fazer e pensa até em voltar a trabalhar. Tenho certeza que só umas férias não é a coisa mais importante da sua vida, mas programá-las para ser memoráveis, vale a pena. Assumindo que você concorda comigo, então também concordará que não faz sentido gastar energia em coisas menores e colocar muita energia no que você quer da vida, escrevendo num papel e discutir o assunto com as pessoas próximas. Fazendo isso você aumentará suas chances de mudar para melhor.


Andar a deriva pode ser divertido e pode ter alguns benefícios possíveis, se feitos por um período muito breve, como num período de férias. Talvez você se conheça melhor, tenha oportunidade de "recarregar as baterias", mas fazer isto sem definição, você vai perder seu tempo e outras oportunidades. Aprender a ficar focado e "no momento" irá beneficiá-lo.

Por que é importante a definir metas?

Escrever seus fatores-chave significa:
  1. Saber o que você realmente deseja;
  2. Saber para onde você quer ir;
  3. Mapear o seu curso, por escrito;
  4. Dispor os recursos necessários para ter sucesso em toda “jornada”;
  5. Discutir seu “planejamento” com, pelo menos uma pessoa de sua confiança, de preferência que esta pessoa seja experiente em planejamento e execução. 
Estabelecimento de Metas Atividades: 

Aqui está um processo de sete etapas que você pode usar:

·   PASSO 1 - Pergunte-se: O que você quer mudar? 
Perder peso? Ganhar mais dinheiro? Fazer um novo curso? Socializar mais?

·   PASSO 2 - Trace objetivos práticos :
Seus objetivos devem estar de acordo com o que você está desejando alcançar. Se seus objetivos não são práticos (muito difícil, muito demorado, muito caro etc.), você vai parar antes de alcançá-los.

·    PASSO 3 - Dê um primeiro passo:
Se o estabelecimento de metas é novidade para você, basta pensar em coisas que você gosta ou que você faz bem. Começar por aí vai lhe dar mais segurança para criar coisas mais complexas. E não se esqueça de anotar o que estabeleceu e as coisas que conseguiu alcançar assim como as que não atingiu. Analise os motivos e reprograme seu planejamento.

·   PASSO 4 – Estime quanto tempo e recursos irão lhe dar retorno?
Lembre-se que você precisa equilibrar o retorno com os custos prováveis. Algumas metas poderiam lhe dar um retorno dentro de um ano, outras em um mês ou dois anos!

·   PASSO 5 - Priorize seus objetivos:
Você não pode fazer tudo de uma só vez. Colocá-los em uma ordem lógica, dar-lhes “uma prioridade", identificar metas devem ser feita primeiro. Identifique os mais importantes: eles podem ter o maior retorno para o esforço necessário, ou pode ser algo que você tem que fazer de imediato!

·   PASSO 6 - Descobrir datas de conclusão realista:
Escrever as datas de conclusão previstas vai reduzir a tentação de procrastinar.

·   PASSO 7 - Revise suas metas mais frequentes:
Seus objetivos vão evoluir ao longo do tempo. Você completa alguns e cria novos! Metas de alta prioridade que não se completaram, não foram bem planejadas ou você está procrastinando. Reveja e replaneje!

Tire os óculos cor de rosa. Não pense que você pode completar todos seus objetivos em um período de tempo irrealisticamente curta. Espere ter contratempos. Por outra lado, não defina seus objetivos com prazos muito longo “deixando o tempo correr” completá-los.

Não se esqueça de seus obstáculos

Depois de concluir suas atividades a fixação de metas, o próximo passo é avaliar os obstáculos que ficaram no caminho. Os analise, reveja, identifique seus erros e acertos. Eles deixam muitas lições a serem aprendidas.

Conclusões

Estas sugestões para estabelecimento de metas, provavelmente, irá ajudá-lo a obter coisas que você nunca pensou ser capaz de fazer ou possível de ser realizada. Não há limite para o que você pode conseguir. Saber o que quer, geralmente vem em primeiro lugar.

Pense nisto e tenha uma ótima semana!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

VOCÊ CONHECE A VACINA ANTIPROPINA – FUTURA ISO 37001?

Segundo o Banco Mundial, mais de 1 trilhão de dólares de propinas são pagos anualmente em todo o globo. O problema da corrupção, portanto, não existe apenas no país. A mesma fonte confirma números mundiais impressionantes: até 50% das empresas pagam propinas; nos países em que o nível de corrupção é baixo os negócios crescem 3% mais rapidamente. A ONU estima que a corrupção adiciona 10% aos custos dos negócios.

Com os recentes acontecimentos, é bastante provável que o Brasil, que já havia caído do 69º. lugar em 2012 para o 77º. em 2013 entre 177 países, certamente despencará no ranking da Transparência Internacional. Dinamarca e Nova Zelândia disputam o primeiro lugar.

Estão em segundo lugar a Finlândia e a Suécia, também empatadas, seguidas de Noruega, Cingapura, Suíça, Holanda, Austrália, Canadá e Luxemburgo. Os Estados Unidos ficaram em 19º lugar. Nas Américas, Venezuela e Paraguai continuam sendo os piores, e Uruguai e Chile são vistos como os líderes em transparência. A tabela de honestidade da região tem o Uruguai no topo, com índice de 73. Em seguida, vêm Chile (71), Porto Rico (62) e Costa Rica (53), seguidos por Cuba (46), Brasil (42) e El Salvador (38).


Por outro lado, por apenas 38 francos suíços as empresas brasileiras poderão se vacinar contra a corrupção, adquirindo a norma em nível de minuta do Comitê ISO CD 37001 pela internet no endereço http://www.iso.org/iso/catalogue_detail.htm?csnumber=65034. O documento descreve um sistema de gestão antipropina que pode ser implementado por qualquer organização interessada. Sua edição final está prevista para 2016, mas no estágio atual já é possível a adoção de uma série de ações preventivas. A norma é redigida sob forma de requisitos, o que permite a certificação, fato que tem gerado controvérsias.

Implementando a citada ISO, baseada na norma britânica BS 10500, será possível reverter esse quadro, cumprindo requisitos sobre: política antipropina; comprometimento e postura da alta direção; avaliação de riscos; procedimentos compatíveis com os riscos envolvidos; monitoramento, análise crítica, auditoria interna e melhoria; comunicação interna e externa das políticas antipropina, e seu entendimento por todos os envolvidos por meio de educação, treinamento e orientação; due diligence; definição de atribuições e responsabilidades pelo cumprimento da política; poder de decisão delegado; recursos para combater a propina; política de brindes, hospitalidade e doações; procedimento dos colaboradores; controles contratuais; controles financeiros; controle de compras, incluindo a cadeia de suprimentos; controles comerciais; procedimento para denúncias; procedimentos investigatórios e disciplinares; e suborno de servidor público.

Em conclusão, podemos dizer que a promulgação recente de legislação anticorrupção punindo empresas e executivos com crescente rigor exige das empresas ações rápidas para evitar sua infringência, com todas as consequências financeiras e especialmente quanto à sua imagem e reputação. A ISO 37001 se constituirá numa ferramenta de capital importância para que as empresas estruturem seu sistema de gestão antipropina de forma a evitar danos irreparáveis aos seus negócios.


Autor: B.V.Dagnino - Administrador de Empresas, com extensão em Engenharia Econômica e Garantia da Qualidade NuclearPrimeiro Gerente Técnico da então FPNQ - http://qualidadeonline.wordpress.com/2014/11/19/brasil-devera-ser-rebaixado-no-indice-de-corrupcao/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...