Ebooks Grátis

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

COMO REPENSAR A CARREIRA PARA 2015

O profissional que almeja sucesso na carreira tem duas missões fundamentais no fim de cada ano: fazer o balanço dos 365 dias que se passaram e estabelecer metas para os que virão. Especialista em gestão estratégica de pessoas e diretora-geral da Sias Educação e Consultoria, Jacqueline Rezende enfatiza que “todo profissional é um 'Você S.A', ou seja, tem balanço, planejamento e meta”. Ela explica que é preciso fazer um apanhado de tudo que se viveu, o que deu certo e o que ficou no meio do caminho, e trabalhar os próximos objetivos. Jacqueline ressalta quatro pontos para alcançar resultados positivos nesta avaliação. “O primeiro é pensar em tudo aquilo que eu quero e já tenho e que vou manter. O segundo, é tudo que não quero mais e vou eliminar. O terceiro é tudo aquilo que quero, não tenho e vou buscar. E o quarto é tudo aquilo que eu não tenho, não quero e vou continuar evitando.”

Com a ideia de que o profissional tem de ser um estrategista, precisa organizar cada passo da sua carreira, a especialista em gestão destaca a importância de cuidar de, pelo menos, cinco áreas essenciais para o crescimento pessoal dentro de uma organização. É a conhecida “roda da vida”, que, de oito áreas, ela reduz para cinco – “uma forma mais tranquila de englobar do trabalhador chão de fábrica até os gestores”.

De acordo com Jacqueline, a primeira área a ser cuidada é a espiritual. É a que
ela chama de meta egoísta, do eu. “Não envolve filho, marido e trabalho. É o individual. Preparar-se para os outros, fortalecendo as próprias competências.” A segunda é a área familiar, que não significa só os laços de sangue. “Família é toda a composição social que o faz se sentir acolhido e ter obrigações financeira, moral, física e social. Você precisa dela para alicerçar sua vida. Esse núcleo engloba a intensificação de relações como perdão, melhoria e entendimento.”

A terceira área é a social. Hora de incluir os amigos, relacionamentos dentro da empresa, enfim, o famoso network. “Eu sou quem eu conheço. E o network não é só para a carreira, mas para a vida. Se você tem uma filha doente e chega desesperado num hospital, será um alívio se conhecer um médico para, de alguma forma, dar um apoio, uma assessoria, uma palavra.” Ela diz que as metas se intensificam com o aumento do network, mas o contato não pode ficar limitado às redes sociais. “As pessoas estão cada vez mais longe do convívio e da conversa, que são preponderantes para fortalecer as relações e ter visão macro do mundo. E lembre-se, network não é só fazer parceria.”


A financeira é a quarta área que exige atenção de todo profissional, seja na hora do balanço, seja na hora de definir o futuro. “Tudo no mundo gira ou corre em cima do dinheiro, vivemos num mundo capitalista. Portanto, as diretrizes financeiras cobram equilíbrio. O que adquirir, o que economizar, são questões para analisar. Se perder, se não tiver controle desta área, o impacto será sobre todas as outras.”

Por último, e não menos importante, está a área que cuida da carreira. Aqui estão em jogo seus desejos e objetivos. Onde quer chegar? Quer mudar de emprego? Vai buscar uma promoção? O que tem feito de novo? O que está entregando fora do combinado? “É preciso criar um plano de ação, ainda que reduzido. Ter cuidado na hora de definir prazo. Se é para 2015 é preciso ser cumprido em 2015. Claro, se você for o responsável pela ação e não depender de decisão de terceiros. Na carreira é necessário o equilíbrio, porque demanda atenção maior que qualquer outra área. Por isso, planejamento é o principal.” Jacqueline enfatiza que, ainda que balanços sejam complicados, nem sempre o resultado é o esperado, e definir metas demanda coragem. O principal é ter em mente “que a felicidade é o ingrediente do sucesso profissional. O estímulo é externo, mas quem se motiva é você mesmo”.

O valor das pequenas conquistas

É fundamental a análise do que foi feito e o reconhecimento do que foi conquistado. É importante estabelecer metas a longo prazo, mas não deixe de considerar outras etapas que têm de ser vencidas, as micro conquistas, que devem ser analisadas, para não desanimar. Se quer ser diretor, valorize o tempo que passou como assistente e analista. Comemore as pequenas vitórias. Se perceber que determinado comportamento não deu o resultado desejado, atue para mudá-lo. O comportamento de hoje determina a forma como se vai estar no futuro. Por isso, todos devem analisar aquilo que foi feito e deu certo, aquilo que foi feito e pode ser melhorado e aquilo que não deve ser repetido. Somente com base nas ponderações de 2014 você vai ter condições de classificar a situação e fazer o planejamento para o ano seguinte. Como a empresa, o profissional tem de ter planejamento estratégico em benefício próprio. Não fazer o balanço é ter falta de consciência do comportamento, que se tornará repetitivo e o resultado não mudará. Será aquela história, faz, faz, faz e nada acontece, fica no mesmo lugar. Um ciclo. E o fim de ano é a época ideal, já que por natureza todos se sentem mais abertos a repensar e renovar.

Pense nisto e um Feliz Ano Novo!

Fonte: Jornal de Pernambuco

Autora: Jaqueline Rezende - CEO Sias Educação e Consultoria. Professora Fundação Getúlio Vargas

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...